27/04/2011

TUPARETAMA CLAMA POR PAZ

( Texto lido hoje no sepultamento do jovem Anderson Rogério da Silva, 17 anos, assassinado)

A trágica morte de Rogério não pode ficar esquecida no silêncio da impunidade e da omissão.
Sua morte não deve ser reduzida a mais um ato violento que daqui a alguns dias será esquecido nas cinzas do tempo. Não. Que a morte de um conterrâneo tão moço ainda, tão cheio de vida, nos sirva de estandarte para que nos unamos em busca da PAZ que tem sumido de nossa comunidade.

Que nossas mãos e nossas vozes se unam numa só corrente em busca da paz e da fraternidade.

Enquanto não despertarmos para a necessidade urgente de mais amor, mais compreensão e mais tolerância continuaremos a ver os nossos irmãos e nossos jovens se destruindo na compulsão do consumo, no vazio da troca do "Ser" pelas aparências e na busca desenfreada do prazer a qualquer custo.

Paz, meus irmãos e irmãs.
Paz, meus amigos e amigas
Paz, meus queridos jovens e adolescentes
Paz, irmãos de Tuparetama.

A paz seja essa semente que iremos plantar no nosso "agora", na convivência no lar entre pais e filhos, no dia a dia da comunidade, no trabalho, na escola, no templo religioso, na praça, nas ruas. Paz que se manifesta e se espalha toda vez que trocamos o ódio, o rancor, a mágoa, a desconfiança e a vingança por gestos de perdão, carinho... Por  abraços, sorrisos, desculpas, auxílios e companheirismo.

A PAZ está em nossas mãos e ela só depende de cada um de nós. No entanto, somente se torna real no coletivo e nunca na individualidade.

Que paz esteja com nosso jovem Rogerinho, e que ele possa ser acolhido pelo nosso Mestre e irmão maior, que nos ensinou no momento da cruz: “ Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário